x
Este site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Saiba mais

PORQUÊ NITROGÉNIO NOS PNEUS?

 

 

 

Maior segurança e economia

 

O ar que respiramos é constituído na sua maioria por azoto, oxigénio e água. O oxigénio e a água do ar comprimido têm um impacto negativo nos pneus, influenciando negativamente a manobrabilidade, a eficiência em termos de combustível, a duração dos pneus, o ambiente e a sua própria segurança. A solução passa por encher os seus pneus com uma elevada concentração de azoto.

 

Do ponto de vista da condução automóvel, a estabilidade da pressão interna do pneu é fundamental para se garantir a segurança, por um lado, assim como a economia, por outro. Na verdade, os pneus perdem gradualmente pressão, devido à crescente porosidade da borracha e à oxidação da zona de contacto do pneu com a jante, bem como do cone de vedação da válvula do pneu.

 

Para complicar mais a segurança de condução, cada pneu não perde a pressão de forma exactamente igual aos outros, o que gera desequilíbrios perigosos, principalmente ao rodar a alta velocidade, mesmo em recta, ou ao efectuar curvas e travagem pronunciadas.

 

Em termos de economia de combustível, também é sabido que a baixa pressão dos pneus aumenta o atrito do pneu com a estrada e faz aumentar o consumo do combustível. No entanto, o aumento do consumo de combustível não é o único inconveniente da baixa pressão dos pneus. Ao deformar-se mais, o pneu com baixa pressão também aquece acima do recomendado, apressando a degradação da borracha.

 

 

 

 

 

 

 

Vantagens

 

Está calculado que a perda de pressão devido às causas "naturais" aqui referidas seja de 0.14 bar por mês. Pode não parecer muito, mas, como é um fenómeno muito gradual e progressivo, o condutor acaba por não se aperceber da queda de pressão dos seus pneus.

 

As soluções habituais para contornar todos estes inconvenientes são o controlo da pressão dos pneus, com manómetros fiáveis, a correcção regular da sua pressão e a substituição das válvulas periódica. A remontagem dos pneus nas jantes, por altura da rotação geral dos pneus, também evita o agravamento da perda de pressão de ar.

 

 

Vantagens do nitrogénio nos pneus:

 

 Maior eficiência em termos de combustível (emissões de CO2 reduzidas);

 Maior vida útil dos pneus (pressão dos pneus mais estável, menor oxidação do pneu)

 Maior segurança (pressão dos pneus mais fiável, temperatura dos pneus mais baixa, melhor aderência e manobrabilidade);

 Maior vida útil dos bordos (o azoto é completamente seco, não há oxidação do bordo)

 

Todas estas vantagens ajudam o ambiente.

Copyright © 2017 SOPNEUS - by LV Engine